Escola Cícero Bezerra realiza aula de campo em hortas da Caeiras e São Pedro

0
274

A iniciativa faz parte do projeto Educação Contextualizada, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Educação, com o tema ÁGUA

A Escola Cícero Bezerra promoveu, na manhã de sexta-feira,15, aula de campo com as turmas do 4º,5º e 6º ano. A iniciativa faz parte do projeto Educação Contextualizada, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Educação, com o tema ÁGUA.

O momento dinâmico começou com visita na residência do casal Miguel (Miguelzinho) e Lurdiene, na comunidade Caeiras. Miguelzinho produz objetos a partir da madeira. Suas obras encantam pela criatividade e elas sempre reproduzem o cotidiano do Sertão cearense.

Em seguida, ainda na localidade Caeiras, os alunos conheceram o Quintal Produtivo do casal Ozeias e Edivânia, onde é desenvolvido o projeto BIOÁGUA. Por último, o grupo conheceu o Assentamento Luar do Sertão, onde o produtor Braguinha e sua família produzem frutas, verduras e hortaliças. Toda a produção é feita de forma orgânica.

O professor Nacelio Pedrosa destaca que o objetivo da visita é mostrar que é possível produzir, de forma sustentável, aqui na nossa região. “O ato de educar vai além da sala de aula. Queremos mostrar para nossos educandos que é possível conviver e produzir no Semiárido preservando a nossa natureza”, ressaltou.

O momento contou com a participação da coordenadora pedagógica da Escola, Solange Pedrosa, e dos professores Cleurismar Lacerda e Nacélio Pedrosa. A ação contou com o apoio da Prefeitura, através da Secretaria de Educação e do Departamento de Transportes. O motorista Mostonho foi quem conduziu os ônibus com professores e alunos.

Bioágua

O Projeto Bio água é um sistema simples, fácil e barato que reutiliza a água servida dos esgotos e transforma os quintais inutilizáveis em uma importante área de produção, que ajuda a complementar e mudar os hábitos alimentares das residências.

O sistema, conhecido por Bio-Água, é uma reprodução de um projeto já existente no Chile, mas a sua inserção no semiárido brasileiro é inédita.